Ação demonstra tratamento fitossanitário de árvores em São Paulo

Cerca de 30% das árvores da cidade de São Paulo estão doentes e precisam de cuidados. Um método bastante eficaz e barato foi desenvolvido pelo Instituto Biológico (IB). É um trabalho de investigação e tratamento dessas árvores.

Na manhã desta 6ª feira (2), por iniciativa do vereador Gilberto Natalini (PV-SP), aconteceu uma demonstração de um método eficaz e barato de diagnóstico fitossanitário de árvores em viário urbano. A ação aconteceu na Vila Clementino e foi coordenada pela bióloga Beatriz Gromick.

O método desenvolvido pelo IB tem como objetivo a identificação das infestações por cupins subterrâneos em árvores. A metodologia busca facilitar o monitoramento com o uso de equipamentos de baixo custo, entre eles uma micro câmera para visualização interna dos danos em troncos.

Na primeira etapa do projeto é feito um levantamento prévio, identificando alguns espécimes arbóreos para serem avaliados, em seguida levanta-se algum tipo de problema fitossanitário (cavidades, presença de fungos, necessidade de supressão, etc.) e verificam-se quais estão com cupins ativos em seus troncos. A supressão da árvore é feita em último caso.

Futuramente pretende-se realizar também o controle das infestações, utilizando produtos naturais a base de óleos vegetais inócuos ao ambiente e à saúde humana e de organismos benéficos e não alvo. Esse método está em fase de aprovação pela ANVISA.

Natalini destinou emenda parlamentar no valor de R$ 800.000,00, para custear um projeto piloto para as subprefeituras da Vila Mariana, Lapa, Butantã, Pinheiros e Santo Amaro.

“Precisamos plantar a árvore certa, no lugar certo, na hora certa e cuidar! Árvore é vida!”, disse Natalini.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *