Autismo: 1 em cada 59 crianças está dentro do transtorno do espectro autista

Um novo relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CD), dos Estados Unidos, mostrou um aumento de 15% no número de crianças que fazem parte do transtorno do espectro autista (TEA) em relação aos dois anos anteriores. Isso significa 1 caso para cada 59 crianças (estimativas de 2014, divulgadas em 2018) contra 1 em cada 68 (estimativas de 2012, divulgadas em 2016).


O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição consequente de desordem no desenvolvimento do cérebro. De acordo com a médica pediatra, formada pela Universidade de São Paulo (USP) e professora livre docente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), não há uma causa exata para este transtorno, mas acredita-se que haja uma grande influência hereditária/genética, pois irmãos de autistas têm até 25 chances de desenvolver a doença.

É um tanto quanto complexa essa doença pois, como há este certo distúrbio no sistema cerebral do indivíduo, há distinções de sentimentos e as pessoas ao redor ficam assustadas e sem saber como reagir, por isso requer uma compreensão significativa, pois o autismo não tem cura.

Na tarde deste sábado (15), nos reunimos com pais de crianças autistas e profissionais da área para discutir o assunto, e a falta de políticas públicas ainda é um grave problema. Nosso mandato realiza diversas ações pelas pessoas autistas, como os Encontros e Fóruns Municipais de Autismo, em parceria com a Dra. Adriana Zink, dentista especializada no tratamento dessas pessoas e diversas entidades. Sou autor da Lei que cria o Programa de Saúde Bucal para pessoa com deficiência.
Na reunião também foi cogitado que o aumento no número de autistas pode se dar pela má alimentação, excesso de agrotóxicos nos alimentos e também pelo excesso de flúor na água. 
Sou autor de leis importantes nessa área também, como a que inclui alimentos orgânicos na merenda escolar e a que proíbe embutidos nessa merenda. 
É dever do Estado garantir uma saúde de qualidade e acessível para a população. Infelizmente o SUS, plano de saúde de milhões de brasileiros, está subfinanciado e com péssima gestão. Quero ser Deputado Federal para mudar esse quadro e garantir uma saúde de qualidade para TODOS.
Gilberto Natalini- Médico, Vereador de SP e Candidato a Deputado Federal (PV)- 4300

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *