De geração em geração

“Ledor Vador”, de geração em geração, desde pequena escuto meus avós dizerem “ledor vador”, entendia, mas não compreendia o que eles queriam dizer, hoje no Ato de Yom Hashoah na Hebraica, entendi o verdadeiro significado dessa frase, quando o querido Ben Abraham disse” Hoje é o dia mais feliz da minha vida, vejo que tudo valeu a pena, que tantos anos me dedicando a contar a história do Holocausto, a barbarie que foi esse episódio terrível, eu finalmente consegui passar o bastão e os nossos jovens entenderam que essa história não pode morrer e não pode se repetir. Estou muito emocionado”.

Em um ato envolvente, o teatro Arthur Rubinstein, da Hebraica, emocionou-se com a apresentação dos jovens, contado de forma tão leve, um dos momentos mais dramáticos da nossa história, da história do judaísmo e de tantos outros povos e credos, onde nosso povo foi tratado como animal, sem direito a nada, sem direito a vida. Crianças, jovens, idosos simplesmente exterminados e por que? Porque eram judeus, ciganos, negros…. Não podemos deixar que essa história se repita, precisamos lutar contra qualquer tipo de preconceito e discriminação.

É por isso que sigo com muito carinho e determinação o caminho ensinado pelos meus líderes Walter Feldman e Gilberto Natalini, o caminho da Cultura de Paz.

Ben Abraham, Rita Braun, Miriam Nekrycz, e tantos outros sobreviventes, contem com essa soldada aqui, tenham a certeza que no que depender de mim, gritarei aos 4 cantos do mundo, tudo o que vocês passaram e não deixaremos que essa história morra.

Am israel chai! O povo de Israel Vive!