Comissão da Verdade: vereadores querem trazer o depoimento do coronel Brilhante Ustra, diz Gilberto Natalini

A homenagem proposta pelo Coronel Telhada (PSDB) à Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) foi questionada por integrantes da Comissão da Verdade Vladimir Herzog — que foi reinstalada nesta terça-feira na Câmara Municipal de São Paulo.
Entre as principais dúvidas levantadas pelos integrantes da Comissão da Verdade está a justificativa do projeto de decreto legislativo (PDL 6/2013) encaminhado à Câmara Municipal. O texto da matéria conta o processo de formação da Rota e a repressão a líderes políticos como Carlos Lamarca e Carlos Marighella.

DSCN4281

Durante o debate, Ivan Seixas, integrante da Comissão Estadual da Verdade, mostrou-se contrário ao projeto de Telhada. “A Rota foi criada pela ditadura para reprimir movimentos populares. Não podemos permitir isso e a sociedade precisa ficar tranquila e saber que nunca mais isso vai acontecer”, disse.
O presidente da Comissão, vereador Gilberto Natalini, informou que o objetivo é dar continuidade aos trabalhos que foram iniciados no ano passado. Natalini informou que esperar conseguir trazer para dar o seu depoimento o coronel Brilhante Ustra, que comandou as operações de repressão na capital durante o período mais violento da ditadura. “O depoimento dele vai nos ajudar a esclarecer muita cosa”, diz Natalini.
A próxima reunião da Comissão está marcada para a primeira semana de abril.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *