Economia Verde é a solução

Economia é um conjunto de atividades desenvolvidas visando a produção, distribuição e o consumo de bens e serviços necessários à sobrevivência e à qualidade de vida. É uma ciência que estuda todos esses processos de troca nos diversos setores de trabalho, independentemente da empresa, instituição ou entidade que seguirá com este meio.

Um conceito antigo, advindo de 1932 pelo britânico Lionel Robbins agregando à forma como os indivíduos satisfazem as suas necessidades em condições limitadas. Diante disso, temos ainda outros desdobramentos novos e que estão ganhando força no planeta: economia verde e a economia criativa.

A Economia Verde trabalha pela valorização do meio ambiente em detrimento do crescimento econômico acelerado, dando um destaque maior para as atividades de produção, distribuição e consumo. Essa preocupação já existia em 1987, no relatório Brundtland, criado pela ONU, conduzindo discussões sobre crescimento econômico menos consumista e mais preocupado com as questões ambientais, como explica o geógrafo Fábio Piccinato para a revista Super Interessante.

Quando falamos em meio ambiente, muitas pessoas entendem apenas a atenção às áreas verdes, mas é uma expansão de setores dentro do próprio meio.

Dentro desse sistema todo complexo, temos sete setores promissores na área como o tempo de oportunidades – de sua transição; agricultura; energias renováveis; turismo; pesca; indústria e o setor florestal propriamente dito.

Temos como exemplo direto, a agricultura 4.0, onde o produtor consegue desenvolver o próprio solo, aumentando a sua produtividade. O biodiesel também, extraído de óleos vegetais, vindo de agricultores familiares, unindo a valorização da agricultura familiar com um combustível não poluente para a sociedade.

Já a Economia Criativa, um termo bem mais atual na sociedade, busca estabelecer uma relação entre tecnologia, inovação, cultura, criatividade e sustentabilidade, tendo como algo primordial o capital intelectual, carregada por valores simbólicos: a informação, unindo os dois mundos, de economia e criatividade.

Nesta junção, temos algumas atividades no ramo do mercado de trabalho que se inserem na área, como a moda criativa, unindo preços baixos e a preocupação com o meio ambiente, excluindo o uso de roupas de pele animal; o investimento no turismo e na sustentabilidade; e, até chegando à indústria de videogames.

Economia tem muito a ver com sustentabilidade. A estrutura do modelo econômico tradicional não contempla as necessidades para o desenvolvimento sustentável. Por esse motivo, governos, sociedade civil e setor privado têm buscado (juntos ou de forma separada) alternativas que permitam a transição ou ruptura para modelos econômicos mais sustentáveis.

Sustentabilizar com economia. Economizar com sustentabilidade. É o que queremos!

Gilberto Natalini- Médico, Ambientalista e Vereador PV-SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *