Natalini e o Centro Cultural Africano entregam o V Prêmio Àsé – Ìsese, pela Cultura de Paz

Em comemoração à Década Internacional dos Afrodescendentes (1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024), que tem como objetivo aumentar a conscientização das sociedades no mundo quanto ao combate do preconceito, da intolerância, da xenofobia e do racismo (ONU/Dez 2014) e o Mês da Consciência Negra; a Câmara Municipal de São Paulo, através do vereador Gilberto Natalini (PV-SP) e o Centro Cultural Africano realizaram nesta 2ª feira (2/12), o V Prêmio Àsé – Ìsese, pela cultura de paz.

O prêmio tem como objetivo reconhecer dez instituições de matriz africana no Estado de São Paulo que desenvolvem trabalhos sociais junto às suas comunidades no combate a intolerância religiosa. O evento contou com a presença de Artistas Nacionais e Internacionais, Autoridades, Embaixadas, Cônsules, empresários, formadores de opinião, religiosos e sociedade civil.

A população brasileira conta com quase 54% de afrodescendentes e nos últimos anos as questões relacionadas ao debate racial se tornaram ainda mais complexas com o sistema de cota no ensino superior, ações afirmativas, estatuto da igualdade racial e os parâmetros curriculares de ensino que prevê a discussão desses temas e a obrigatoriedade do ensino da Historia e Cultura da África e afro- brasileira.  Esta ação é decisiva na promoção da cidadania, valorizando e respeitando as relações étnico-raciais, isto é, potencializando a elevação da auto-estima na promoção da inclusão social através da unidade pela diversidade brasileira.

Parceria
O Centro Cultural Africano é uma organização sem fins lucrativos, que foi fundado em 1999, pelo nigeriano Otumba (rei) Adekunle Aderonmu, com a missão de fortalecer o intercambio entre o Brasil e a África, valorizar a solidariedade, a ética, a esperança, o talento, o respeito, além de manter vivas as tradições culturais africanas e afro descendentes, contribuindo assim com o desenvolvimento do patrimônio oral, material e imaterial da humanidade, segundo a UNESCO.