Dezembro verde: mês de conscientização sobre a paralisia cerebral

A paralisia cerebral é uma doença bastante grave. Os sintomas aparecem no início da vida e é preciso que a família se adeque a esta realidade.

A doença é composta por um conjunto de desordens permanentes que afetam o movimento e a postura. Os sintomas acontecem por um distúrbio que ocorre no cérebro da criança, em boa parte dos casos antes do nascimento. Muitos acontecem porque as mães ingeriram bebida alcoólica durante a gestação.

Geralmente, as pessoas com paralisia cerebral têm dificuldade na deglutição e podem ter um desequilíbrio no músculo do olho. Nesse sentido, os movimentos no geral se reduzem em várias articulações do corpo, por conta da rigidez muscular.

Entretanto, são bem relativas às condições de quem a possui. Algumas pessoas conseguem caminhar, enquanto outras não. Outras têm o processo de aprendizado e raciocínio normal e terceiras não. Epilepsia, cegueira ou surdez também podem estar presentes.

No Brasil, há uma falta de clareza em estudos médicos para saber de fato a sua prevalência e incidência.

Nosso mandato tem apoiado a causa, principalmente em parceria com a Associação Cruz Verde, uma entidade pública de referência em paralisia cerebral grave. Admiro e ajudo no que posso o trabalho da entidade, em especial pela assistência adequada e solidariedade aos pacientes.

A Cruz Verde com a pequena estrutura que tem, realiza um trabalho de gigante. É uma entidade séria, que trata essas pessoas com carinho e respeito. Precisávamos de muitas entidades como essa na nossa cidade.

Dedicamos boa parte do mandato às causas da saúde e qualidade de vida das pessoas.

Gilberto Natalini- Médico e Vereador (PV/SP)