Projeto que prevê árvores em estacionamentos para melhorar qualidade de vida em São Paulo é aprovado na Comissão de Política Urbana

Para compensar a escassez de áreas verdes na cidade de São Paulo, especialmente nas regiões de menor renda, o vereador Gilberto Natalini (PV) propôs o PL (Projeto de Lei) 731/2017, que estabelece a obrigatoriedade de arborização em estacionamentos a céu aberto. O projeto acaba de ser aprovado na Comissão de Política Urbana.

A regulação proposta valerá para os estacionamentos sem construções no subsolo e área igual ou superior a 1 mil metros quadrados. Nesses casos, o PL determina que se plante, no mínimo, uma árvore a cada 100 metros quadrados de área do estacionamento.

Segundo Natalini, as regiões com grande circulação de veículos têm menos áreas verdes, altas taxas de impermeabilidade do solo e muitas áreas para estacionamentos. O plantio de árvores nesses locais, por sua vez, contribuiria para reduzir as ilhas de calor, ampliar a permeabilidade do solo e melhorar a qualidade do ar.

Levantamento realizado pela Prefeitura de São Paulo, em 2015, estimou que a cidade possui cerca de 650 mil árvores, em canteiros e calçadas. A Subprefeitura de Pinheiros, na zona oeste, liderou o ranking de arborização com 5,8 habitantes por árvore. Já a Subprefeitura de Cidade Tiradentes, na zona leste, apresentou o pior resultado, 62,7 habitantes por árvore. A proporção ideal recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) é de três árvores para cada pessoa.

Segundo especialistas, as vantagens de uma cidade com mais áreas verdes vão da melhora do clima e qualidade do ar ao aumento da permeabilidade do solo, o que também contribuiria para evitar enchentes.