Coronavírus: São Paulo ficará na fase vermelha entre Natal e Ano Novo

Diante do aumento de casos, mortes e internações por covid-19 em São Paulo, o Governo do Estado decidiu recuar para fase vermelha, de alerta máximo, do plano de combate à pandemia entre os dias 25 a 27 de dezembro e 1º a 3 de janeiro. Com a medida, apenas atividades consideradas essenciais são permitidas.

Na prática, isso significa que só uma parte dos serviços pode funcionar na época de Natal e réveillon, como supermercados, farmácias e clínicas médicas. O transporte interestadual e internacional também tem autorização para seguir funcionando.

Com expectativa de operar com o máximo permitido no fim do ano, hotéis e pousadas podem seguir abertos, segundo o Plano São Paulo. As unidades, no entanto, precisam respeitar regras de ocupação, regulamentadas por prefeituras, e fazer adequações nas áreas comuns.

“As pessoas podem estar no hotel”, diz a secretária estadual Patrícia Ellen, de Desenvolvimento Econômico. “Os ajustes nesses dias de trabalho devem respeitar o funcionamento equivalente a fase vermelha, como já foi feito anteriormente.”

São considerados essenciais, ainda, os setores de segurança, limpeza, abastecimento, logística, comunicação social e construção civil. Assim, ficam abertos postos de gasolina, armazéns, oficinas automotivas, bancos, lavanderias e bancas de jornal.

Já o acesso a praias deve ser decidido por governos locais. O Governo do Estado, no entanto, manifestou apoio por medidas restritivas.

“Não pode aglomerar nas praias. Fazer atividades físicas? ok. Caminhada na areia? ok. Faz isso e volta para casa”, afirma João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência Coivd-19. “Não é lógico levar famílias e mais famílias, levar cadeiras e fazer piquenique. Para que correr esse risco?”

Restrições
Até então autorizados a operar com 40% da capacidade, bares e restaurantes agora voltam a ser proibidos de receber clientes e permitir o consumo no local. Apenas os serviços de delivery e drive thru podem continuar funcionando, segundo o Plano SP.

Na fase vermelha, lojas, galerias e shoppings devem fechar as portas, independentemente de horário ou controle de acesso. Recentemente, o governo havia autorizado o horário estendido para as compras de fim de ano.

Outros setores que precisam recuar são os salões de beleza e academias, que deixam de funcionar no período estabelecido. Eventos e atividades culturais também voltam a ser proibidos.

As medidas devem ser regulamentadas pelas prefeituras. As administrações municipais têm a opção de endurecer ainda mais as restrições, dependendo do cenário local da pandemia.

About natalini