Rodízio de carros tradicional volta a vigorar nesta segunda em São Paulo

O rodízio tradicional volta a vigorar às 7h desta segunda-feira (18) em São Paulo. O prefeito Bruno Covas anunciou neste domingo (17), o rodízio ampliado e mais restritivo, que entrou em vigor na segunda-feira (11), não surtiu efeito no índice de isolamento da cidade, que se manteve abaixo do esperado pela gestão municipal.

Com o novo decreto, o rodízio volta a restringir a circulação de veículos de acordo com o número final da placa e o dia da semana, apenas no centro expandido e nos horários de pico (7h às 10h e das 17h às 20h), como era realizado anteriormente:

Segunda-feira: final de placa 1 e 2
Terça-feira: final de placa 3 e 4
Quarta-feira: final de placa 5 e 6
Quinta-feira: final de placa 7 e 8
Sexta-feira: final de placa 9 e 0

O rodízio foi a segunda estratégia da prefeitura para tentar ampliar a taxa de isolamento social. Dias antes, a gestão municipal chegou a fazer bloqueios em grandes vias da cidade. A medida foi bastante criticada, pois afetou profissionais de serviços essenciais, principalmente da área da saúde.

Lockdown

Durante a coletiva, Covas defendeu a necessidade de paralisação para conter o avanço da doença. O prefeito disse que a gestão municipal, após duas tentativas de controle de fluxo, se vê com poucos recursos para alterar o índice.

“Antes de pensarmos em abrir, precisamos parar. Mas é preciso dizer que a prefeitura, sozinha, não tem todos os principais instrumentos para fechar totalmente a cidade. Nossa competência constitucional em segurança é muito limitada. Não há no mundo caso de autoridade pública sem poder de polícia, sem segurança pública, que consiga implantar um lockdown. Além disso, a capital não é uma ilha como a Nova Zelândia. Não somos isolados do mundo.”, disse o Prefeito de São Paulo.

Antecipação de feriados

O prefeito disse que enviou, neste domingo (17), à Câmara Municipal, um projeto em regime de urgência propondo a antecipação de feriados municipais como estratégia para alterar a taxa de isolamento social, enquanto um possível fechamento da cidade é elaborado pelo governo.

A ideia, de acordo com Covas, é fazer uma “pausa forçada” na cidade. O prefeito afirmou que vai sugerir ao governador que faça o mesmo no feriado de 9 de Julho, data do aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932.

O projeto entra em pauta no legislativo municipal já nesta segunda-feira (18). A expectativa do governo é a de conseguir aprovação até terça (19).

Risco de colapso

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, disse neste domingo (17) que as mortes por coronavírus subiram 432% em menos de um mês na cidade de São Paulo.

Segundo o secretário, há muito mais casos suspeitos da doença do que confirmados até então.

Ele também informou que o sistema de saúde municipal poderá estar comprometido em 15 dias se novas medidas não forem tomadas.

Cidade de São Paulo (casos de Covid-19):
135.348 pessoas suspeitas da doença
38.479 casos confirmados
2.766 óbitos confirmados
3.143 óbitos suspeitos

Fonte: G1

About natalini