Vacinação contra gripe começa em todo o Brasil

Começou nesta segunda-feira (23/3) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A primeira etapa é direcionada para idosos e profissionais de saúde. Em meio à pandemia do coronavírus e a orientação para que pessoas com mais de 60 anos não saiam de casa, serão reservados espaços apenas para a vacinação, para que quem for se imunizar não tenha contato com os demais pacientes, e seja atendido rapidamente.

O Ministério da Saúde adiantou o início da campanha para março, para antecipar a proteção dos públicos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe. A vacina contra influenza não imuniza contra o coronavírus, mas deve auxiliar os profissionais de saúde a eliminar a possibilidade quando do diagnóstico para coronavírus, já que os sintomas são parecidos. E ainda ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde. Não há necessidade de correria aos pontos de vacinação, pois a campanha vai até o dia 22 de maio.

“A vacinação contra a gripe é muito importante, pois vai reduzir a procura dos serviços de saúde, uma vez que as pessoas estarão imunizadas contra a gripe. Em tempos de coronavírus, manter o calendário de vacinação em dia é crucial para deixar o corpo protegido”, disse o médico e vereador Gilberto Natalini (PV-SP).

VACINAS EM CEUs E UBS

Para ampliar os espaços e evitar aglomerações, 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 46 Centros Educacionais Unificados (CEUs) servirão como locais de atendimento para a vacinação em São Paulo. É possível consultar a UBS mais próxima ao seu endereço, acessando o site Busca Saúde. Também está funcionando em formato de drive true, a pessoa nem precisa sair do carro.

“Essas UBSs vão funcionar de maneira especial, devido ao surto de coronavírus. Teremos acolhimento, recepção, uma rápida avaliação médica e, por fim, a pessoa será vacinada. Os idosos entrarão por uma porta e sairão por outra. Nas unidades que têm espaço externo, montaremos tendas para fazer a imunização. A Secretaria Municipal de Saúde também irá até instituições de longa permanência, como asilos e casas de repouso, para vacinar esse público”, declarou o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, ao Portal da Prefeitura de São Paulo.

Segundo o secretário, unidades escolares também serão utilizadas para a campanha, assim como os grandes conjuntos habitacionais, para que o trânsito de pessoas seja reduzido nas unidades. “Serão 20 mil profissionais de saúde e dois mil estagiários de Medicina envolvidos nesse processo. A ideia é realizar a vacinação de forma muito rápida. As pessoas deverão chegar, se vacinar e retornar para suas casas”, enfatizou o secretário.

ETAPAS DA CAMPANHA

Serão realizadas mais duas etapas em datas e para públicos diferentes, alcançando cerca de 67,6 milhões de pessoas em todo o país. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um desses grupos, até o dia 22 de maio. O dia “D” de mobilização nacional para a vacinação acontece no dia 9 de maio (sábado). Nesta data, os 41 mil postos de saúde do Brasil todo ficarão abertos para atender todos os grupos prioritários.

A etapa seguinte da campanha terá início no dia 16 de abril com objetivo de vacinar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança e salvamento. A última fase, que começa no dia 9 de maio, priorizará crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Fonte: Site Câmara Municipal de SP

About natalini