Secretaria do Verde firma convênio com USP e ganha do IPT a instalação de dois equipamentos para medição da poluição sonora

Uma parceria inédita entre a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) e a Universidade de São Paulo (USP) foi assinada na quarta (25). O Termo de Cooperação para Assuntos Relacionados à Educação Ambiental permitirá a troca de experiências entre as duas instituições e o compartilhamento de dados. O evento culminou com um presente dado pelo IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) para a cidade: a doação da instalação de dois equipamentos medidores da poluição sonora, batizados de “barulhômetros”.

16265810_1286287161436896_5744918020684571161_n

O Termo foi assinado ontem na sede da Escola Municipal de Astrofísica, que completa 56 anos. Assinaram o documento o secretário do Verde e do Meio Ambiente, Gilberto Natalini, a diretora da UMAPAZ (Universidade do Meio Ambiente e Cultura pela Paz), Rose Inojosa, o reitor da Universidade de São Paulo, Marco Antonio Zago, a pró-reitora adjunta Ana Cristina Limongi, a superintendente de Gestão Ambiental, Patrícia Faga Iglecias Lemos e o diretor presidente do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), Fernando José Gomes Landgraf.
O objetivo dessa parceria é fomentar melhorias ambientais com o conhecimento científico, realizar eventos, promover e aplicar projetos de pesquisa e outros meios didáticos. A SVMA pretende, desta forma, enriquecer sua política para educação ambiental com temas relacionados à sustentabilidade.
“Nós entendemos que se trata de uma parceria justa para os dois lados. Nos oferecemos para assuntos mais aprofundados e a USP compartilha seu conhecimento conosco. É uma honra enorme estar com os membros diretores da Universidade de São Paulo e do IPT. Eles estão se colocando como parceiros e nos ajudando a superar a missão de recuperar o enorme passivo ambiental provocado pelo desenvolvimento predatório”, declarou Natalini.
Barulhômetro
Na oportunidade, São Paulo ganhou, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, a instalação de dois equipamentos usados para medir a poluição sonora, batizados de “barulhômetros”. Eles foram entregues pelo diretor presidente do IPT, Fernando José Gomes Landgraf, que destacou a fase embrionária de medição desse tipo de poluição. “Vamos propor que os barulhômetros sejam instalados em dois locais diferentes, um mais silencioso e outro mais afetado pelo ruído. É um presente singelo que não vai resolver a situação, mas pode nos levar a uma consciência do problema e o que podemos fazer para resolvê-lo. Esse é o presente que o IPT dá à cidade no seu aniversário”, afirmou Landgraf.
Gilberto Natalini agradeceu prontamente a iniciativa do Instituto e destacou o quanto os dois equipamentos poderão contribuir para políticas efetivas de combate à poluição sonora. “São Paulo é uma cidade muito barulhenta, diria até ensurdecedora. Com eles, vamos iniciar pesquisa para que se possa mapear, dosar e até combater o ruído de São Paulo de forma efetiva”, reforçou o secretário.
Os dois equipamentos cedidos pelo IPT à Prefeitura, sob responsabilidade da SVMA, são de grande porte (3,00m de altura x 1,50 m de largura), e medirão, por meio de um placar, a intensidade do nível de ruído por segundo. Os mais interessados poderão acessar um site específico  – futuramente desenvolvido – para acompanhar os dados coletados.
Embora a Municipalidade já disponha de alguns recursos para coibir a poluição sonora, como o Psiu!, esse tipo de poluição ainda não tinha ferramentas técnicas e até legais para seu combate. Landgraf, presidente do IPT, lembrou que no ano passado a Câmara aprovou uma lei municipal propondo o mapeamento sonoro da cidade.

About natalini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.