1500 pessoas participaram de ato em prol de Parque na Mooca

Entidades sociais, líderes comunitários, empresários, comerciantes e moradores da região  organizaram a mobilização ‘Parque na Mooca Já’, neste domingo (19), na rua Barão de Monte Santo, na confluência com as ruas Francisco Cipullo e Dianópolis, onde fica o terreno de 98 mil m² que no passado abrigou uma distribuidora de combustíveis e, agora, a comunidade defende que seja transformado em parque público. O evento contou com a presença de cerca de 1500 pessoas. 

O vereador Gilberto Natalini (PV) é autor do projeto de lei que institui o Parque Municipal na Mooca. O projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e segue tramitando na Câmara Municipal de São Paulo.
 
O ato contou com total apoio do parlamentar. Durante o evento, que também teve o objetivo de chamar a atenção para a falta de áreas verdes na Mooca, aconteceu um abraço simbólico ao terreno.

A Mooca é um dos bairros mais áridos da cidade. Enquanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda 12m² de área verde por habitante, o índice está próximo a 2m² na Mooca.
A empreitada esbarra na liberação ambiental: entre 1945 e 2001, o local foi utilizado como depósito de combustíveis pela petroquímica Esso, o que contaminou o solo com benzeno, chumbo e outras substâncias tóxicas. A Construtora São José tem a responsabilidade de entregar o terreno totalmente descontaminado, ação que teve início em 2014.
Diante da iminência do início da construção de um empreendimento no local, um grupo de moradores recolheu 21.000 assinaturas para pressionar o poder público a transformar a área em parque. O abaixo assinado foi entregue ao Prefeito e no próximo domingo acontecerá o Abraço ao terreno.
“A transformação de uma antiga área contaminada em parque poderá se tornar um exemplo para todos”, disse o vereador Gilberto Natalini. O parlamentar também explicou que a proprietária do terreno (Construtora São José) não enfrentará qualquer tipo de prejuízo econômico, uma vez que a Prefeitura de São Paulo pode realizar a troca por potencial construtivo, assim como já praticado no Parque Augusta.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *