O SUS e suas dores

O SUS é o plano público de saúde de 150 milhões de brasileiros. Os outros 50 milhões tem plano privado pago por si ou pelas empresas. Mas quando as doenças são graves, muitas vezes esses planos privados “empurram” os doentes para o SUS. Assim, o SUS é o pai, a mãe e o irmão da saúde dos brasileiros.

Ele tem por lei, a obrigação de fazer promoção, prevenção, cura e reabilitação em saúde. Assim, desde o transplante de órgãos, a colocação de próteses caríssimas, as campanhas de vacinação, as campanhas de esclarecimento, até uma garrafa de água mineral, ou um alimento, passa pela responsabilidade do SUS. É muito serviço!

E sabe quanto o SUS dispõe para realizar toda essa imensa, complexa e importante tarefa? Sabe?

Somando todas as verbas do Sistema Público de Saúde (Federal, Estadual e Municipal), o SUS tem R$ 3,66, isso mesmo, três reais e sessenta e seis centavos por brasileiro, por dia, para atender à Saúde Integral. Quase não dá para acreditar, mas é a pura verdade.
Há 10 anos não há reajuste da tabela SUS. Uma Santa Casa, se gastar R$ 100,00 num paciente, só recebe do SUS R$ 60,00. A conta não fecha!

Junta-se a isso a má gestão, o descontrole dos gastos, o desperdício, os baixos salários e em muitos casos o despreparo das gestões federal, estaduais e municipais, para organizar o Sistema.

Há também, como em todo país, o rolo da corrupção. O SUS está então asfixiado, faz alguns anos, por má gestão e desfinanciamento.

Muitos perversos falam em acabar com o SUS. Eu retruco!!!

Isso seria multiplicar a carnificina contra o povo brasileiro, que não tem renda para custear sua própria saúde.

Assim, temos a imensa tarefa à nossa frente, de buscar mais recursos para o SUS e aplicar uma gestão austera e competente que possa reorganizar o Sistema, valorizar os milhares de funcionários que em sua maioria, com baixos salários, se dedicam a atender nosso povo.

Esse é a minha luta. Essa deve ser a nossa luta. Essa tem que ser a luta de todos.

Gilberto Natalini
Médico e Vereador PV/SP