Produtos embutidos podem ficar fora da merenda das escolas e creches de SP

Salsicha, mortadela, salame, chouriço e outros embutidos deverão, por lei, ser eliminados da composição da merenda das escolas e creches da cidade de São Paulo. Projeto de Lei 587/2015 do vereador Gilberto Natalini (PV), apresentado na sessão plenária desta terça-feira (27), estende a proibição ao comércio de lanches e refeições no interior das escolas e creches e também àqueles servidos em festividades e eventos.

embutidos-na-alemanha

Conforme o PL do parlamentar, o Executivo deverá fazer ampla campanha entre professores, estudantes e funcionários alertando para os males que tais embutidos causam à saúde das crianças.
O PL prevê advertência e apreensão do material e multa às empresas fornecedoras e operadoras de cozinhas e lanchonetes infratoras e até mesmo a cassação da licença de funcionamento em caso de reincidência após trinta dias. A mercadoria apreendida poderá ser objeto de doação, se estiver em bom estado e com o prazo de validade vigente.
O Projeto de Lei vai ao encontro de ações do mandato do vereador em duas frentes: a Lei dos Orgânicos na merenda escolar e a ação contra o sobrepreço de salsichas compradas pela Secretaria de Educação. O vereador também tem o Projeto de Lei nº 502/2011 que dispõe sobre a proibição de saleiros e sachês com o produto em mesas de bares, restaurantes, hotéis e outros estabelecimentos que fornecem refeições na cidade. No caso de o cliente solicitar, o estabelecimento poderá fornecer saleiro ou sachê.
O vereador que é médico sempre alertou para o perigo da alimentação não balanceada. “Salsichas e outros tipos de carne processada e excesso de sal não são o que poderíamos chamar de alimentação saudável e aumento o risco de doenças cardiovasculares”, orienta Natalini.

About natalini

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.