Alimentação saudável é sinônimo de qualidade de vida

A alimentação é a base para a saúde humana. Mas e quando a questão é o mau uso dela, principalmente na primeira fase de vida? A preocupação se torna ainda maior.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para a sociedade se conscientizar nesse sentido, pois a tendência é de que, nos próximos cinco anos tenhamos um mundo ainda mais obeso e nada saudável.


O nosso mandato tem se preocupado bastante com esse assunto. Criamos em 2015, a Lei de Merenda Orgânica (nº 16.140/2015), que prevê a inclusão de alimentos orgânicos na alimentação escolar da rede municipal de São Paulo e, que a compra seja feita principalmente da Agricultura Familiar, devidamente certificados ou produzidos por agricultores familiares, que fazem parte de uma Organização de Controle Social – OCS, cadastrada no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e inscritos no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos.
Alimentos orgânicos são os alimentos produzidos com métodos que não utilizam agrotóxicos sintéticos, transgênicos ou fertilizantes químicos. As técnicas usadas no processo de produção respeitam o meio ambiente e visam manter a qualidade do alimento, trazendo mais qualidade de vida para as pessoas.
A escolha pela agroecologia com o devido suporte, fazendo pouco a pouco essa transição para a agricultura orgânica e local, acaba valorizando o trabalho dos pequenos produtores também, não apenas de grandes indústrias, enaltecendo e tendo como base uma qualidade alimentar muito maior.
A cidade de São Paulo instalou o primeiro Pátio de Compostagem Orgânica no bairro da Sé, todos com adubos naturais e acessíveis para a população que queira também participar deste processo de sustentabilidade.
A agricultura familiar do Brasil é a 8ª maior produtora de alimentos do mundo. Pouco mais de 90% das 570 milhões de propriedades agrícolas mundiais são geradas por famílias, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).
Para a ONU, a agricultura familiar é um passaporte para erradicar a fome mundial e alcançar a segurança alimentar sustentável.
Seguimos firme, na luta por um mundo mais sustentável, com mais qualidade de vida para todos!
Gilberto Natalini- Médico, Ambientalista e Vereador (PV/SP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *